Friday, June 17, 2016

Review: Quatro Noites que Valeram uma Turnê


     Jamais espera-se pouco de uma artista do porte de Mariah Carey, afinal ela é uma das últimas grandes divas musicais e está na lista dos artistas com as carreiras mais impressionantes do mundo. Ela tem levado há anos o título de melhor artista feminina de todos os tempos e, convenhamos, ela realmente tem provado isto com seus shows, mas quem disse que era para tanto?

    Mariah Carey, para nós, lambs, Mimi, a melhor, sem dúvidas, mas até quando precisaremos de provas de que ela realmente veio para ficar? Bom, ela não foi desafiada por nenhum de nós, nem mesmo por algum crítico musical, mas como uma boa ariana, Mariah se cobra demais, mesmo tendo dado a impressão de que não liga para a carreira há um tempinho aí com um tal álbum não muito bem em vendas. Quem nunca?

     Fato é que Carey está mais ariana do que nunca, poderia dizer algum astrólogo, pois ela está na sua melhor forma e nem precisamos de motivos. Amor próprio? Amor novo? Amor de filhos? Amor de fãs? Por que não? Ela está radiante, exibida, linda em tudo, com a voz no ponto e seus quatro primeiros shows da quarta temporada de sua residência “#1 to Infinity” em Las Vegas, EUA, provaram isso. Provar ela não precisa, mas o faz com louvor. A erroneamente chamada de cantora de “Hero”, intérprete de “My All”, é a artista musical mais bem-sucedida em uma residência, afinal tudo está indo bem, mesmo com o divórcio ainda não tão finalizado como parece, sendo mais que títulos de revistas e sites de fofocas.

     Falando do que realmente importa, o quarto show (último dia 14) foi um banho de beltings, chuva de melismas e emoção que superou os três primeiros e valeu muito mais que uma turnê completa. Mariah começa todos os shows desde a primeira temporada em 2015 com o sucesso “Vision of Love” e, sem mais nem menos, ela fez muito bonito em tudo.

Uma compilação rápida da noite:


     A sequência de músicas a gente, fãs, já conhece, mas listamos todos os atos do show ao final para você entender e ficar por dentro. Na última noite os destaques foram para as performances de “One Sweet Day” com Daniel Moore e Trey Lorenz, dedicada às vítimas e familiares da tragédia em Orlando, EUA, mas também para “My All” que só fez a gente segurar o queixo de tanta beleza vocal. Ainda acrescentamos a transição de “Someday” para “I Don’t Wanna Cry” que é um ponto alto do primeiro ato, mas também a emoção que o público tomou ao ver “I’ll Be There” (também com Trey Lorenz) com as imagens do rei Michael Jackson ao fundo do palco (não é novidade, mas para quem vai a Vegas assistir ao show, é um ponto altíssimo da noite). Mais que isso, “Thank God I Found You” merece até ser regravada com a voz improvisada de Mariah e o piano como acompanhamento, mas não esquecemos de “Infinity” que será mantida na versão encurtada durante a temporada, o que agradou muitos, afinal, todos querem logo é aquele final maravilhoso do show quando o whistle fecha a noite com chave de ouro.

SET-LIST #1 TO INFINITY – 4ª TEMPORADA (2016)

Ato 1/Abertura:                                           O INÍCIO

     O primeiro ato da noite conta o início da carreira trazendo os quatro primeiros singles que são os quatro primeiros sucessos de sua história. Todos são do álbum Mariah Carey de 1990.

Vision of Love
Love Takes Time
Someday
I Don’t Wanna Cry

Ato 2:                                                                A PROVA

     O show é composto por músicas que chegaram ao topo da Billboard Hot 100 nos EUA, mas não é só disso que a residência “fala”, mas também da versatilidade vocal de Carey que conseguiu provar com seu potencial vocal que é capaz de fazer música ao vivo quando laçou o álbum Emotions de 1991 e reuniu sucessos no MTV Unplugged de 1992.

Emotions
I’ll Be There (participação de Trey Lorenz)

Ato 3:                                                    A CONSAGRAÇÃO

     O álbum Music Box de 1993 é uma verdadeira caixa de música e foi com ele que MiMi foi conhecida mundialmente, principalmente, por ter músicas que a consagraram internacionalmente.

Dreamlover/Dreamlover (The B.I.G. “Juicy” Mix)
Hero

Ato 4:                                                            O MARCO

     Neste ato Mariah traduz o que fez há anos e tantas outras cantoras conseguiram fazer depois. A mistura de gêneros por uma cantora tão romântica e pop até 1995 deu início aos featurings entre cantores e rappers, por exemplo.

Fantasy (Bad Boy Mix)

Ato 5:                                                          O SUCESSO

     Assim como Music Box, o álbum Daydream é uma consagração em forma de música. Em 1995 nossa grande diva abraçou o mundo com sua voz e fez o recorde das paradas americanas ao manter One Sweet Day em parceria com Boyz II Men por 16 semanas no topo. Ao mesmo tempo o seu álbum era recebido por todos, tendo grande destaque pelas belas composições e ao arranjo de cada canção. Este ato traduz-se em sucesso pelas vendas e pelos bons desempenhos nos charts.

One Sweet Day (participação de Daniel Moore e Trey Lorenz)
Always Be My Baby

Ato 6:                                                      A MUDANÇA

     A linda borboleta voou, finalmente. O álbum Butterfly de 1997 é o preferido de Mariah e um dos mais ouvidos pelos fãs. Ele veio ao som chiclete de Honey e mostrou uma Mariah Carey mais jovem e comercial.

Honey

Ato 7:                                                             O AMOR

     My All é uma das baladas mais puras de Mariah Carey e pode ser definida como a música que fala de amor da melhor forma.

My All

Ato 8:                                                          ANOS 2000

     De despedidas à emancipação, Carey embala o ato com sucessos dos álbuns Rainbow de 1999 e The Emancipation of Mimi de 2005.

Heartbreaker (Remix)/Heartbreaker
Thank God I Found You
We Belong Together
Don’t Forget About Us

Ato 9:                                                      O RECORDE

     Ter mais sucessos no topo que Elvis Presley e estar atrás que The Beatles são motivos de muito orgulho do trabalho bem feito em duas décadas, porém o recorde foi, também, por ser a artista solo com o maior número de sucessos no topo (18 #1’s) nos EUA e por detê-lo por 8 anos (desde 2008 nenhum artista solo conseguiu o mesmo nível de MiMi na parada americana). Este é o ato do poder, da glória e do nome Mariah Carey, embalado pelo maior sucesso do álbum E=MC² de 2008.

Touch My Body

Ato 10/Encore:                                  A CELEBRAÇÃO

     Gravadora nova, equipe nova, tudo novo! Com o álbum #1 to Infinity de 2015, Mariah celebra seus 25 anos de carreira e ostenta seus recordes sem ter que se importar com os outros. Mesmo que eles não durem para sempre, ela chegou primeiro que qualquer outra mulher na música e este é um dos maiores orgulhos dos seus fãs, nós, lambs!

Infinity

Agradecimentos: Mariah Raw.

Fonte: MariahNow