Tuesday, April 5, 2016

Mariah Carey- Um Combate Com Baladas de Primeira Linha


     Em sua volta com grande estilo de Las Vegas, às vezes ela parece uma encenação excêntrica, porém a diva do pop voltou com tudo e ofereceu um pacote completo, pode parecer um pouco extravagante, mas é na medida certa.

     Em sua noite de estréia na sua primeira turnê pelo Reino Unido em 13 anos, Mariah Carey estava brava com algumas coisas. Não somente um, mas os dois sprays que levaram para ela usar para aliviar a gargante estavam ruins. Para piorar a situação, alguém esqueceu de ligar o ventilador que servia para ela fazer seus impressionantes cabelos loiros voarem na apresentação. “Virem-se, não sejam mesquinhos”, disse ela. Em seguida, ela virou para multidão que estava rindo da situação e falou: “Vocês já me viram alguma vez sem os meus ventiladores?”

     Pode até ter tido um momento que a banda, a equipe de produção ou até mesmo o público pode ter pisado em ovos por causa forte personalidade de Mariah Carey, eles pareciam, na maior parte do tempo, querendo se divertir ali com ela, mesmo com os 20 minutos de atraso. Carey vendeu uma quantidade surpreendentes de discos em uma brilhante carreira de 25 anos – mais de 220 milhões até hoje – apesar das vendas fracas vendas de seu último álbum, que foi estranhamente chamado de Me. I Am Mariah…The Elusive Chanteuse, e de sua mais recente coletânea de 2015, porém ela ainda tem aqueles tempos de ouro em seu legado.


     Desde o maio do ano passado, ela esteve em uma residência bem sucedida em Las Vegas, que tem previsão de 2 anos de duração, ela vai retornar para lá em junho, depois desta turnê pela Europa e África do Sul com 25 shows. Ao contrário dos show de Las Vegas, onde são rigidamente estruturados em ela cantar seus famosos 18 hits em em ordem cronológica, a Sweet Sweet Fantasy Tour oferece mais flexibilidade, permitindo que Carey faça uma viagem em torno de toda sua discografia, desde suas primeiras canções baladas açucaradas e indo até uma incursão prolongada no Hip-Hop que ela foi influenciada anos depois, incluindo hits potentes como Loverboy e Heartbreaker. E ela também reintroduz Shake It Off, seu hit massivo de 2005, talvez para as pessoas lembrarem que houve um grande hit POP com este nome antes de Taylor Swift.

     O conjunto é pródigo, os vestidos são glamourosos e a voz está praticamente intacta. Mariah Carey pareceu muito mais à vontade fazendo uma viagem em seu catálogo em turnê mundial do que em Las Vegas.

     O show de 90 minutos, tem  todo brilho de Vegas, apesar de ter uma banda cinco membros, três backing vocals, seis bailarinos, sendo que quatro carregaram ela de forma espetacular, no melhor estilo Cleópatra, enquanto entrava no palco. No entanto, a vibe parecia um cabaret intimista de Carey. Ela cambaleava e brincava, dando alfinetadas no melhor estilo Mariah Carey de ser.


“Eu costumava usar microfones brilhantes… mas aí eu parei, porque todo mundo começou a fazer isto também.”

     Às vezes, a encenação é excêntrica. Em um ponto do show, seus bailarinos de vestem de corredores de Fórmula 1, agitando bandeirinhas quadriculadas com o logo MC na bandeira e capacetes. Um rapaz da platéia foi pego para subir ao palco durante uma performance sensual de Touch My Body. É tudo um pouco extravagante. Até mesmo Adele, que tem tocado em grandes arenas ao redor do mundo, não tem acesso a caixa de balas das baladas de primeira linha de Mariah Carey. Contra todas as probabilidades, a sua regravação de Phil Collins, como ela mesma chama, soa muito melhor sem o Westlife. E para canção vencedora do Oscar de 1999, When You Believe, Carey fez um dueto com Whitney Houston em vídeo. E os belts conviventes em Hero e We Belong Together onde ela cantou dentro de um candelabro brilhante gigante.

     No geral, o concerto é um pacote completo e bem costurado, simpaticamente concebido para apresentar uma estrela imbatível de uma forma respeitosa e completamente bajulada pela luz. “Estou fazendo somente o que sei de melhor”, disse ela de forma bem consciente. A Beyoncé talvez possa até ser a Queen Be, mas ao julgar aos aplausos e berros da audiência durante sua apresentação de Without You no final, Mimi sempre será uma grande realiza do POP.

Fonte: The Guardian