Tuesday, January 12, 2016

Álbuns De Mariah Carey

 

  A seguir se apresenta a lista dos álbuns de Mariah Carey, uma cantora, compositora e produtora musical norte-americana. Durante toda a carreira da cantora, foram lançados quatorze álbuns de estúdio, dos quais um é uma banda sonora e dois são festivos, dois álbuns ao vivo, seis extended plays (EPs), sete álbuns de compilação, um álbum de remixes e três box sets. Durante a sua adolescência, Carey já tinha a certeza de que queria ser cantora e, então, mudou-se para Nova Iorque. Trabalhando como empregada de mesa e como assistente num salão de beleza, Carey encontrava tempo para os testes de vocais de apoio, tendo conseguido no primeiro teste tornar-se vocalista de apoio de Brenda K. Starr. Em 1988, Carey conheceu o grande executivo da editora Columbia Records, Tommy Mottola, em uma festa onde K. Starr deu a Mottola uma gravação demo de Carey.

      O álbum de estreia auto-intitulado da artista foi lançado mundialmente em Junho de 1990. Ele estreou no octogésimo lugar da tabela musical Billboard 200 nos Estados Unidos e mais tarde subiu para o primeiro posto, onde permaneceu por onze semanas consecutivas, e recebeu o certificado de disco de platina por nove vezes pela Recording Industry Association of America (RIAA) após ter vendido mais de nove milhões de exemplares em território norte-americano. Os quatro primeiros singles do álbum ajudaram nas suas vendas, uma vez que conseguiram todos alcançar o número um nos EUA e se tornaram em grandes êxitos internacionais. Mariah Carey vendeu um total acumulado de quinze milhões de cópias no mundo. Emotions, álbum lançado em Setembro de 1991, estreou no número quatro da Billboard 200 e recebeu o certificado de disco de platina por quatro vezes pela RIAA. Ao redor do mundo, alcançou o número oito na Austrália, seis na Nova Zelândia, e quatro no Reino Unido, tendo recebido o certificado de disco de platina no primeiro e de platina por cinco vezes nos dois últimos. Emotions vendeu mais de oito milhões de cópias no mundo e mais de 3 milhões e 584 mil unidades nos EUA. Após uma apresentação no programa de televisão MTV Unplugged, foi lançado um EP com o mesmo nome cujo pico na Billboard 200 foi no número três e no número seis no Reino Unido. MTV Unplugged vendeu mais de 10 milhões de exemplares no mundo e 3 milhões e 731 mil cópias nos EUA.

     Music Box, o terceiro trabalho de estúdio, estreou no topo nos EUA, onde permaneceu por sete semanas não-consecutivas, além de receber a certificação de diamante pela RIAA em Novembro de 1997 pela vendas de mais de dez milhões de cópias. Music Box vendeu 32 milhões de cópias no mundo e 10 milhões e 189 mil cópias nos EUA. Hoje, é um dos discos mais vendidos do mundo. Merry Christmas, o primeiro álbum de natal e quarto trabalho de estúdio de Carey, foi lançado em 1994. Estreou no número três da Billboard 200 e recebeu o certificado de disco de platina por cinco vezes pela RIAA, além de ter alcançado o topo no Japão e o número dois na Austrália, onde recebeu a certificação de platina por quatro vezes. Merry Christmas vendeu mais de 17 milhões de cópias no mundo e 5.2 milhões de cópias em território nacional. Daydream estreou na primeira colocação da Billboard 200, tornando-se no terceiro álbum de Carey a atingir essa posição. O disco conseguiu também posicionar-se na primeira colocação de mais oito países e entre as cinco melhores em outros cinco. Em Dezembro de 1998, recebeu a certificação de diamante pela RIAA pelo embarque de mais de dez milhões de exemplares, tornando-se no segundo álbum de Carey a receber esse certificado. Em outros lugares, recebeu o certificado de disco de platina por sete vezes pela Canadian Recording Industry Association (CRIA), platina por cinco vezes pela Australian Recording Industry Association (ARIA) e Recording Industry Association of New Zealand (RIANZ), e platina por duas vezes pela British Phonographic Industry (BPI). Daydream vendeu mais de 28 milhões de cópias no mundo e 7 milhões e 189 mil cópias nos EUA.

     Butterfly foi lançado em Setembro de 1997 e estreou na primeira colocação da Billboard 200 registando vendas superiores a 236 mil unidades na sua primeira semana de comercialização. Após vender mais de 5 milhões de cópias nos EUA, recebeu o certificado de disco de platina por cinco vezes pela RIAA. Em outros lugares, alcançou o topo em quatro países diferentes, incluindo a Austrália e o Japão, e recebeu o certificado de disco de platina por duas vezes pela ARIA e pela CRIA, e o certificado de platina pela RIANZ. Butterfly vendeu mais de 18 milhões de cópias no mundo e 4 milhões e 719 mil cópias em território nacional. Em 1998, foi lançado o box set 12s, que contém os remixes de dez canções da artista lançadas no formato 12". Após a transmissão da cerimónia das VH1 Divas do mesmo ano, foi lançado o álbum ao vivo VH1 Divas Live 1998. Em Novembro do mesmo ano, a Columbia Records decidiu lançar a compilação #1's para promover o lançamento do oitavo álbum de estúdio de Carey. #1's estreou na quarta colocação da Billboard 200, registando vendas superiores a 221 mil unidades, e foi certificada com platina por cinco vezes pela RIAA. O disco vendeu mais de 18 milhões de cópias no mundo e 3 milhões e 745 mil cópias nos EUA. Além disso, é o disco mais vendido no Japão por um artista não-asiático, com vendas superiores a 3.25 milhões.

     Rainbow, lançado em 1999, tornou-se no primeiro álbum de Carey desde Emotions a não alcançar o primeiro posto da Billboard 200, posicionando-se no número dois registando vendas superiores a 323 mil unidades na sua primeira semana de comercialização. O álbum conseguiu alcançar a primeira posição na França e posicionou-se entre as cinco melhores posições em outros dez países, incluindo a Austrália, onde foi certificada com um disco de ouro. Nos EUA, Rainbow recebeu o certificado de disco de platina por três vezes, e no Canadá, recebeu o mesmo certificado por duas vezes. Rainbow vendeu 4 milhões de cópias nos Estados Unidos e ao redor do mundo vendeu mais de 12 milhões de cópias. Em 2001, Carey saiu da Columbia/Sony Music e assinou um novo contrato de USD 100 milhões com a Virgin Records, o maior alguma vez assinado por um artista. Glitter, banda sonora do filme de mesmo nome lançada a 11 de Setembro de 2001, foi o seu primeiro lançamento na editora. O disco teve fraca publicidade e não conseguiu ter o mesmo sucesso que os álbuns anteriores da cantora, mas, apesar disto, conseguiu receber o certificado de disco de platina pela RIAA, tornando-se no segundo trabalho menos vendido da carreira da cantora. Glitter vendeu mais de 3,5 milhões de cópias no mundo e 652 mil cópias em território nacional, sendo boicotado pelo destino com o atentado de 11 de setembro ao qual ninguém tinha olhos para a musica e sim para a dor, não se pode competir com uma tragedia.No ano seguinte, Carey assinou novamente um contrato, desta vez com a Island Records. O seu primeiro lançamento foi Charmbracelet, em Dezembro do mesmo ano, que estreou no número três da Billboard 200 registando vendas superiores a 241 mil unidades. As vendas do álbum foram melhores em relação às de Glitter, mas mesmo assim não conseguiram trazer a artista de volta à ribalta. Em 2003, como uma tentativa de melhorar a imagem da artista, a editora lançou a compilação The Remixes, que vendeu mais de 300 mil unidades nos EUA e atingiu o pico no número vinte e oito da Billboard 200.


     The Emancipation of Mimi, o décimo álbum de estúdio da intérprete, foi um retorno relativo a nível de vendas, uma vez que foi o álbum mais vendido de 2005 nos EUA. Estreou no número um da Billboard 200 com vendas superiores a 404 mil unidades, tendo mais tarde recebido a certificação de platina por seis vezes pela RIAA. The Emancipation of Mimi vendeu mais de 15 milhões de cópias no mundo e mais de 6 milhões de cópias em território nacional. E=MC², lançado em Abril de 2008, também estreou no topo da Billboard 200, registando a sua maior venda semanal de sempre: 463 mil unidades. O álbum também alcançou o topo da tabela do Canadá e posicionou-se dentro das dez melhores colocações em outros onze países. E=MC² vendeu um total de 7.5 milhões de cópias no mundo e mais de 1,5 milhão de cópias nos EUA. Memoirs of an Imperfect Angel, o décimo segundo trabalho de estúdio, teve um sucesso moderado ao redor do mundo, tendo tornado-se o seu álbum menos bem-sucedido a nível comercial, sendo certificado com disco de ouro pela RIAA. Merry Christmas II You, o seu segundo álbum de natal, não conseguiu alcançar o sucesso do seu antecessor.

     Em 2012, foi anunciado que o décimo quarto álbum de estúdio da artista estava em produção. Intitulado Me. I Am Mariah... The Elusive Chanteuse, foi lançado apenas em Abril de 2014, sendo um fracasso em termos comerciais e tornando-se no seu álbum menos vendido nos EUA, e acusado pela cantora de não ter apoio da gravadora para fazer a divulgação do trabalho pois a mesma sabia que ela não renovaria o contrato com eles indo para a sony de onde nunca deveria ter saído.

     Em 2000, a cantora recebeu pela World Music Awards o prémio de "Artista Feminia do Milénio" por ser uma das artistas que mais vendeu naquele milénio. Ela também foi premiada com o Chopard Diamond Award em 2003, reconhecendo as suas vendas superiores a 100 milhões no mundo. De acordo com a RIAA, Carey é a segunda artista feminina mais vendida, com vendas maiores que 64 milhões nos Estados Unidos. Ela também é uma das que mais vendeu na era da Nielsen SoundScan, com vendas maiores que 54,6 milhões, e a artista internacional mais vendida no Japão. Carey é uma das cantoras recordistas de vendas de discos, com vendas maiores que 280 milhões em todo o mundo.



No comments:

Post a Comment